Concreto marciano: um projeto de outro mundo

A descoberta da presença de água fora da terra inspirou muitas pessoas com ideias e projetos de colonização. A estrela desse assunto é a Nasa, que divulgou o plano de estabelecer colônias em Marte até 2030. Para isso, estão sendo feitos grandes investimento em tecnologias. E recentemente uma pesquisa deu resultados extremamente satisfatórios: Uma combinação de materiais geológicos permitirá produzir o concreto marciano.

Planeta marte visto do espaço.

Seu maior objetivo era adaptar equipamentos e materiais ao ambiente do planeta. Mas seu maior desafio é fazer tudo isso em um ambiente sem água líquida, atmosfera rarefeita e o solo cheio de elementos ferrosos. Por enquanto a pesquisa no simulador do solo marciano da Northwestern University, em Illinois, tem conseguido superar essas barreiras.

Com ela, chegou-se a um material resistente, feito sobretudo com enxofre líquido para substituir a água. Foram usadas ainda cinzas vulcânicas da região do Havaí, que supostamente tem características semelhantes às do solo marciano. São substâncias abundantes no planeta, de acordo com os robôs já enviados para lá. A única coisa à ser transportada da Terra à Marte, para concluir as construções, é o cimento.

Ônibus espacial indo para o espaço.

A gravidade do planeta e a granulometria dos solo de lá, tornam a força do semelhante ao concreto utilizado para projetar arranha-céus aqui. Além disso, esse material tem tempo de cura de uma ou duas horas e sua resistência mecânica é suficiente para suportar impactos de meteoros.

Agora, o desafio é tornar o concreto marciano resistente ao fogo, para que as futuras construções se tornem cada vez mais próximas da realidade. Segundo o cientista Gianluca Cusatis, da Northwestern University, “Existem pesquisas paralelas para o desenvolvimento de aditivos que possam minimizar esse problema”.

Os cientistas:

Os companheiros Cusatis, Lin Wan e Roman Wendnerda são os cientistas à frente das pesquisas. Eles conseguiram criar as condições de pressão atmosférica, temperatura e gravidade de Marte, o que melhorou a resistência do “concreto em Marte”. Na Terra, o enxofre gera um material com muitos buracos e baixa resistência. “O que buscamos agora é reduzir o volume de enxofre líquido na mistura. Por enquanto, o concreto que obtivemos precisa de 50% de enxofre e de 50% de solo vulcânico”, afirma Lin Wan.

Esse grupo da Northwestern University avalia que nos próximos dez anos podem chegar a um projeto muito mais confiável. “Alimento e abrigo são dois fatores essenciais para que a viagem a Marte seja bem-sucedida. Nosso empenho, agora, é garantir performance de longo prazo ao concreto marciano”, explica Lin Wan.

Enquanto esperamos as pesquisas serem concluídas, a Maahs oferece os melhores produtos para as construções terrestres: o Concreto Usinado, Areias e Britas. Faça um orçamento: maahsareiaebrita.com.br/orcamento/ ou ligue: (47) 3635-1348, para uma obra de outro mundo!.

Iniciar Chat
1
Olá, tudo bem?
Gostaria de obter uma cotação?
Powered by